Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Deliberações da Reunião de Câmara de 8 de fevereiro (cont.)

Autarquia
Bandeirapl 1 1024 800
19 Fevereiro 2010
A Câmara Municipal de Ponte de Lima deliberou na reunião realizada no dia 8 de fevereiro aprovar o regulamento do projeto "Nós pela Natureza", bem como o procedimento para a gestão da rede de recolha seletiva Municipal de Óleo Alimentar Usado- OAU.

Câmara Municipal de Ponte de Lima Aposta  na Preservação Ambiental

A Câmara Municipal de Ponte de Lima deliberou na reunião realizada no dia 8 de fevereiro aprovar o regulamento do projeto "", bem como o procedimento para a gestão da rede de recolha seletiva Municipal de Óleo Alimentar Usado - OAU.

Ambos os projetos são vocacionados para a preservação do Meio Ambiente, atuando em áreas especificas, mas com um objetivo comum que é o de sensibilizar os cidadãos para as questões relacionadas com a preservação e valorização ambiental.

O projeto "Nós pela Natureza" nasceu de uma parceria entre a AEPL - Associação Empresarial e a Câmara Municipal de Ponte de Lima com o objetivo de incentivar os empresários do Concelho a participar ativamente na concretização de determinados objetivos ambientais, promovendo a responsabilização das empresas com a causa ecológica. Desta forma, pretende-se criar uma rede de empresas amigas do ambiente, cuja ação contribuirá para reduzir os impactos sobre o meio ambiente.

Ao apelar à sensibilidade de toda a comunidade, o projeto tem várias metas a atingir entre as quais a redução do lixo produzido; separação dos resíduos sólidos, separação e recolha de óleos usados, redução dos consumos energéticos, redução do consumo de água e eficiência energética dos edifícios.

Quanto à Recolha Seletiva Municipal de Óleo Alimentar Usado, e considerando que a reciclagem de óleos alimentares usados, constitui uma mais valia no atual contexto das políticas energéticas nacional e comunitária o executivo aprovou por unanimidade o procedimento pelo qual se irá reger a respetiva recolha de Óleo Alimentar.

De realçar que a Câmara Municipal assegura desde novembro de 2008 o correto encaminhamento do Óleo Alimentar Usado produzido nas cantinas dos estabelecimentos do ensino básico, cumprindo a Diretiva Comunitária 2003/30/CE, que visa a promoção da produção e da utilização de biocombustíveis.

O Óleo Alimentar Usado, é um resíduo que apesar de não ser considerado perigoso, causa problemas de poluição quando lançado no meio ambiente. A sua descarga na rede de esgotos, ou a sua deposição no lixo, provocam graves problemas nas estações de tratamento de águas residuais, interferindo com a capacidade de depuração destes sistemas.

A valorização deste resíduo traz vantagens não apenas ambientais, mas também sociais e económicas, sendo fundamental a colaboração de todos os intervenientes neste projeto de valorização.