Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Festival Percursos da Música de Ponte de Lima: Concerto dos Sensible Soccers fecham ciclo de concertos 2019

Cultura
Fpm2019 banner noticia 1 1024 800
08 Agosto 2019

Com concertos de acesso livre, e a escassos dias do seu término, a edição de 2019 do Festival Percursos da Música, propõe um fim-de-semana prolongado, de ponto em ponto, pela Vila mais antiga de Portugal.

Diogo Carlos na guitarra clássica, e Ashkan Layegh no piano, abrem a noite de sexta-feira, 9 de agosto. Às 22h00, na Rua Cardeal Saraiva / Largo da Matriz, o duo procura induzir o ouvinte numa viagem sonora diversificada e enriquecedora. O repertório escolhido para este concerto engloba obras dos compositores J.S.Bach, William Walton, Isaac Albeniz, Astor Piazzolla, J. Brahms, N. Bärtsch e Joaquin Rodrigo.

Por sua vez, com o Largo da Alegria (Além da Ponte) como palco, a noite de sábado, 10 de agosto, conta com o concerto de Ricardo Toscano Quarteto, às 22h00.

Ricardo Toscano no saxofone alto, João Pedro Coelho no piano, Romeu Tristão no contrabaixo, e João Pereira na bateria praticam um jazz “mainstream”, sem preocupações de inovação e de experimentação, mas são tais a frescura, a energia, a entrega e a personalidade próprios dados aos temas, “standards” incluídos, que o Ricardo Toscano Quarteto conquista o público.

A linguagem adotada é a do bebop e do pós-bop, com claras influências de Charlie Parker e um repertório de originais e composições históricas que vai até Ornette Coleman. A moldura destas, é suportada por uma secção rítmica em combustão permanente.

O Festival com organização do Município Ponte de Lima e programação e produção do Teatro Diogo Bernardes é também para os mais novos. Assim, durante a manhã de domingo, 11 de agosto, as arruadas pelos Irmãos Esferovite, a Banda de Palhaços, percorrem a Avenida dos Plátanos e algumas artérias do Centro Histórico. A aventura musical e circense dos quatro palhaços que contam histórias disparatadas sobre o quotidiano dos dias, tem início às 11h00.

O público é convidado a entrar neste mundo poético e clownesco e a participar ativamente nestes momentos únicos e irrepetíveis, pensados de acordo com o ambiente e com o espaço determinado.

A programação de domingo, dia 11 de agosto, estende-se com Ton Risco / Jacobo de Miguel Duo, que atuam às 22h00, tendo a Rua Cardeal Saraiva/Largo da Matriz como palco.

Este duo formou-se em março de 2006 através de um encontro fortuito. Desde então, começam a trabalhar no projeto, acrescentando composições próprias de ambos, a par de standards de jazz. Em 2007 gravam o seu primeiro trabalho, intitulado “Dúo” e iniciam uma série de concertos nos principais festivais da zona noroeste de Espanha, como o o Iberojazz, Festival de Jazz 1906, Imaxinasons ou o Festival Arte en la Calle de Gijón.

A música é na sua maior parte original e os concertos têm a intimidade de um duo com a singular sonoridade da mistura do vibrafone com o piano. Podemos afirmar que é a exploração da música de câmara jazzística, numa formação tanto singular como particular, que surpreende pela ampla gama de matizes que conseguem nos concertos ao vivo.

O quarto fim-de-semana de Percursos da Música termina, mas a programação estende-se por mais dois dias.

Les Saint Armand atuam assim, na noite de segunda-feira, dia 13 de agosto (22h00), na Rua Formosa / Pereiras.

Em fevereiro deste ano, os Les Saint Armand lançaram o seu novo álbum de originais, Na Memória da Paisagem. Os seus elementos são artistas associados da companhia A Turma e este vínculo artístico entre a música e o teatro tem marcado um percurso de dez anos, que agora se oferece em disco, reunindo novas e velhas canções não-editadas.

Assumindo o português, privilegiando o valor da palavra e uma essência acústica, a sua música tem raízes na folk e na canção de autor de dimensão coral, incorporando influências do jazz, bossa nova, rock ou pop.

Eleitos pelo público como Banda Revelação e Melhor Concerto no Festival Bons Sons 2017, os Les Saint Armand são constituídos por Luís Barros, bateria, José Aníbal Beirão, contrabaixista e um trio de vozes e guitarras compostas por André Júlio Teixeira, António Parra e Tiago Correia.

À décima edição, com Ponte de Lima como palco, o evento que tem contado com milhares de espetadores fecha em alta, com o concerto dos Sensible Soccers, na noite de terça-feira, 13 de agosto (22h00), no Largo de Delfim Guimarães / Escadaria das Pereiras.

O grupo está de volta com o seu terceiro longa duração, “Aurora”. Se em “Villa Soledade” trabalharam sobre o imaginário das estradas nacionais, de um país real e por cumprir, esquecido e alienado, em “Aurora” evocam um Portugal pessoal e otimista, da infância e das memórias inventadas.

Com nova formação, os Sensible Soccers abordam cada uma das dez faixas do álbum como uma aventura à procura dos fragmentos de uma espécie de mixtape construída em retrospetiva, onde a guitarra expressionista dá lugar a um coro de três cabeças, composto de baixo, percussão e sintetizadores. Os Sensible Soccers – Hugo Gomes, Manuel Justo e André Simão – contaram em todo o processo com a colaboração de Sérgio Freitas, teclas e Jorge “Cientista” Carvalho, percussão.

O programa de cada um dos concertos deste Festival que, até ao momento, tem sido um sucesso, pode ser consultado aqui: Programa.

image title
image title
image title
image title
image title
image title